Gerir o Valor Agregado do Projeto (GVA / EVM)


O que é a Técnica de Gestão do Valor Agregado (EVM / GVA)?

Uma das atividades mais importantes do gestor de projeto durante a fase de execução é a monitorização, controlo e a comunicação às partes interessadas do estado do projeto. Para isso é fundamental utilizar ferramentas que lhe permitam medir com precisão o estado atual do projeto e determinar tendências que lhe permitam efetuar previsões para a conclusão.

De acordo com o PMBOK 5, essa ferramenta é o EVM (Earned Value Management) / (GVA) Gestão do Valor Agregado.
 

Ao conceito de Earned Value / Valor Agregado (EVM / GVA) pode ser atribuído um significado corrente ou um significado mais técnico.

De acordo com o significado corrente o EVM / GVA consiste em conhecer a quantidade de trabalho executado para um determinado montante de dinheiro despendido, durante um período específico de tempo. No fundo o que o valor agregado (EV) permite é saber se obtivemos aquilo pelo que pagámos.

Numa perspetiva mais técnica o conceito EVM / GVA pode ser definido como sendo o valor do trabalho realizado expresso em termos do montante do orçamento que foi afeto a esse trabalho.

O conceito EVM / GVA não é um conceito recente. Foi definido e usado pela primeira vez em 1960 no departamento de defesa dos EUA, sendo desde à muitos anos extensivamente usado pela NASA (Para mais detalhes sobre o EVM / GVA pode consultar o tutorial disponibilizado pela NASA).

O EVM / GVA oferece vários benefícios dentre os quais se destacam:

  • Disponibiliza informação para gestão, habilitando-os a tomar decisões mais eficazes e atempadas;
  • Trata de forma integrada âmbito (trabalho), calendário (datas) e orçamento (valor);
  • Fornece ferramentas sobre tendências as quais possibilitam antecipar a identificação e o controlo de potenciais problemas, e implementando planos de ações corretivas;
  • Fornece um estado de projeto baseado em critérios objetivos e medido de forma quantitativa;
  • Fornece ferramentas estatísticas que permitem de uma forma mais precisa estimar os custos finais do projeto, tendo por isso um impacto positivo na qualidade das projeções de rendimento e lucro dos projetos.

Exemplo de Utilização da Técnica EVM / GVA

O seguinte exemplo permite compreender melhor a utilidade da técnica de Gestão do Valor Agregado (EVM / GVA). Considere um projeto detalhadamente planeado, em que o orçamento acumulado face ao tempo decorrido está representado pela linha azul (PV) do gráfico da figura 1.
 

Na mesma figura, a linha vermelha representa os custos reais (AC) acumulados até à semana 8. Quem não estiver familiarizado com a técnica da Gestão do Valor Agregado (EVM / GVA), provavelmente concluirá que o projeto excedeu o orçamento durante as primeiras 4 semanas e ficou abaixo do orçamentado a partir da sexta semana.

Contudo a figura 1 não permite avaliar qual a quantidade do trabalho feito em cada semana. Se todo o trabalho que estava previsto fazer até à oitava semana foi concretizado, então o projeto está de fato abaixo do custo. Contudo se à oitava semana só 10% do trabalho tiver sido concluído, como o projeto tem uma duração prevista de 12 semanas, então o projeto estará claramente acima dos custos.

Para corrigir a visão do estado do projeto associando o tempo, o custo e o trabalho realizado, devemos usar o conceito de Valor Agregado (EV / VA) e passar a gerir, não o custo ou o tempo do projeto mas o valor agregado do projeto (EVM / GVA).

O conceito de valor agregado não é mais que o custo do trabalho que foi executado. Á medida que cada uma das atividades é concluída, o projeto adquire “Agrega” o valor orçamentado associado a essa atividade. Este método associa um valor monetário ao trabalho completado para que o mesmo possa ser comparado com os custos atuais do projeto. Esta comparação permite calcular a variância de custo e a variância de calendário, identificando potenciais derrapagens de custo ou atrasos face ao calendarizado.

A figura II apresenta o valor agregado (EVM / GVA) do mesmo projeto. A figura indica que no início o projeto progrediu mais rapidamente que o planeado (teve um bom desempenho técnico), mas que progressivamente foi abrandando até que, entre a sexta e a sétima semana, passou a estar atrasado em relação ao calendário previsto. Paralelamente no mesmo gráfico podemos ver que presentemente (na semana oito) o projeto está abaixo do orçamento previsto, tendo como orientação a quantidade de trabalho realizado desde o início do projeto. A informação que podemos retirar da figura II é muito mais completa e precisa do que a que se obtém analisando a figura I.
 

Ao gestor do projeto esta informação fornece indicações valiosas para que possa decidir quais as ações necessárias para voltar a colocar o projeto em linha com o planeado. Uma vez que o projeto está atrasado em termos de trabalho efetuado e abaixo dos custos, uma das opções possíveis é a de aumentar o número de recursos afetos ao projeto de forma a acelerar o ritmo de trabalho.

Tradicionalmente os gestores de projeto costumam comparar os custos atuais com os custos planeados confundindo custo atual com progresso atual. A técnica do valor agregado (EVM / GVA) fornece um terceiro ponto de referência dando uma visão muito mais objetiva em relação á situação real do trabalho desenvolvido no projeto.

Utilizar a EVM / GVA obriga a um planeamento muito cuidado e de grande detalhe o que pode ser considerado como um custo desajustado a determinados projetos de pequena dimensão. No entanto em projetos de média ou grande dimensão a técnica de Gestão pelo Valor Agregado (EVM / GVA) é uma ferramenta valiosa e fundamental.

Consulte aqui um Glossário e Exemplos sobre a Técnica do Valor Agregado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

9 Programas de Software Grátis para Gestão de Projetos

PMBOK: Ferramentas e Técnicas - Estimar Custos do Projeto

PMBOK: Ferramentas e Técnicas - Compressão do Cronograma do Projeto