PMBOK: Gerir os Riscos do Projeto


O risco é algo que é inerente a todos os projetos. Por definição, os projetos visam a criação de um resultado único, pelo que, quando uma organização inicia um projeto, começa necessariamente a operar numa zona de incerteza. As decisões tomadas nesse contexto de incerteza e os fatores internos e externos que as condicionam influenciam, positiva ou negativamente, a forma como decorre a execução do projeto.

Sendo o risco algo que pode vir a acontecer no futuro, todos os projetos têm risco dado que este é inerente à incerteza com que, no presente se podem antecipar eventuais ocorrências, que venham a afetar o projeto num ou mais dos seus objetivos planeados, dependendo a probabilidade de ocorrência de um dado risco da natureza desse mesmo risco.


Como o seu próprio nome indica, a gestão do risco preocupa-se em identificar e gerir os riscos que possam ter um impacto – positivo ou negativo – no decorrer do projeto.

Sem o adequado planeamento e gestão de risco a gestão do projeto será meramente reativa e a execução do projeto assemelhar-se-á a um daqueles carrinhos telecomandados que oferecemos aos nossos filhos em que o trajeto é determinado pela sucessão de choques nos obstáculos que se lhes deparam.

Podemos definir incerteza como a ausência de informação, conhecimento, ou compreensão em relação ao resultado de uma determinada ação, decisão ou evento. Sendo um reflexo da incerteza, o risco pode ser visto como uma forma de medir a incerteza estando diretamente relacionado com o grau de certeza que conseguimos obter em relação à previsão das ações e decisões efetuadas no decorrer do projeto.

O efeito dos riscos podem ser positivos ou negativos. Os efeitos positivos do risco são frequentemente definidos como oportunidades, sendo os efeitos negativos conhecido por ameaças.

O planeamento dos riscos reduz o grau de incerteza de um projeto, aumentando a sua probabilidade de sucesso e conferindo-lhe maturidade e segurança ao longo de todo o ciclo de vida. Quanto maior for o conhecimento, face ao conjunto de variáveis determinantes para o sucesso do projeto, menor será o risco do projeto.

A correta avaliação e especificação de alternativas, baseada no conhecimento adquirido sobre o presente projeto e na informação histórica relativa a projetos similares executados anteriormente permitem, com base numa avaliação de probabilidades, e num processo de melhoria em função da utilidade e dos tipos de risco, otimizar o processo de tomada de decisão.

O principal objetivo deste processo consiste na redução progressiva da exposição ao projeto a ameaças ao cumprimentos dos objetivos estabelecidos, bem como ao aproveitamento das oportunidades que permitam formas inovadoras e de maior eficiência e eficácia no trabalho necessário para obter esses objetivos, através da:

Os principais objetivos de um plano de gestão de risco consistem na:

  • Redução progressiva da exposição ao projeto a ameaças ao cumprimentos dos objetivos estabelecidos, bem como ao aproveitamento das oportunidades que permitam formas inovadoras e de maior eficiência e eficácia no trabalho necessário para obter esses objetivos.
  • Implementação de um processo de trabalho conjunto através do qual, a equipa de projeto e os grupos de interessados (Stakeholders) mais importantes, colaboram na identificação de riscos e no desenvolvimento de estratégias para os mitigar ou evitar.
  • Com base num processo de monitorização dos riscos eficiente e eficaz, dotar a equipa de projeto de capacidade de resposta rápida e efetiva face aos problemas que surjam durante a execução do projeto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

9 Programas de Software Grátis para Gestão de Projetos

PMBOK: Ferramentas e Técnicas - Estimar Custos do Projeto

PMBOK: Ferramentas e Técnicas - Compressão do Cronograma do Projeto