PMBOK v5: 7.2 Estimar os Custos do Projeto

Estimar os custos de um projeto, é o processo de criar uma estimativa para o custo monetário dos recursos que serão necessários para completar o trabalho do projeto. 

No decurso do projeto, as estimativas são desenvolvidas em diversos momentos e com objetivos e graus de precisão distintos. No início do projeto realizam-se estimativas de alto nível com o objetivo de justificar o projeto. Á medida que decorre o ciclo de vida do projeto as estimativas de custo serão refinadas de forma a refletir detalhes adicionais entretanto tornados disponíveis.
 
 
Dado que a maioria dos projetos são realizados no âmbito de uma relação cliente / fornecedor (mesmo quando dentro da mesma organização, esta relação existe na medida, em que os projetos são realizados para clientes, que podem ser internos ou externos, à organização). No caso dos clientes externos, e quando está em causa a criação de uma relação contratual, para o fornecimento de determinado produto ou serviço, é importante ter presente a diferença entre estimativa de custo e preço. 

A estimativa de custo é uma previsão do custo dos recursos necessários para completar o trabalho do projeto. Já o preço inclui uma margem de lucro. Uma empresa que executa projetos para outras organizações, deve fazer uma estimativa de custo para conhecer quanto o projeto vai custar, e usar essa informação para, adicionando-lhe uma determinada margem de lucro, apresentar ao cliente uma proposta de preço para o trabalho a realizar. 

A realização de estimativas de custos é fundamental para o controlo do projeto. É a comparação da estimativa com o realizado, que permite medir a eficiência com que o projeto foi realizado. 

O gestor do projeto é responsável por criar as estimativas detalhadas do projeto, e assegurar que as despesas permanecem dentro da previsão de custo que foi feita para cada atividade. Durante a fase de execução o gestor de projeto é responsável por controlar e monitorizar a realização dos gastos, identificar e reportar os desvios, propor ações de correção e, se necessário, obter financiamento adicional. 

Ao estimar os custos do projeto o gestor de projeto deve considerar a criação de uma reserva, geralmente de 3 a 5 por cento da estimativa total para o projeto, de forma a fazer frente a custos inesperados. 

No decurso do controlo do projeto, os custos estimados são usados para comparar com os custos reais. Esta comparação deve ser feita em determinados pontos específicos do projeto para determinar se existe desvio e se esse desvio é positivo (realizámos o trabalho planeado a um custo inferior ao estimado) ou se esse desvio é negativo (realizámos o trabalho planeado a um custo superior ao estimado). 

Essa análise deve ser efetuada em termos globais, para todas as atividades concluídas até à data atual, e detalhada por atividade para perceber quais as atividades que apresentaram desvios e quais as suas causas. Esta análise deve ser feita tanto para os desvios negativos (derrapagens) como para os desvios positivos, sendo errado o procedimento habitual de considerar os desvios positivos como uma reserva escondida que o gestor de projeto pode usar para colmatar futuras derrapagens. 

Criar uma estimativa de custo confiável, depende da quantidade de informação disponível para usar no processo de estimação, e/ou da experiencia dos estimadores. Dependendo do tipo de estimativa que estamos a efetuar, quanto maior for a quantidade e a qualidade da informação mais preciso será o conhecimento em relação às necessidades de trabalho, as competências, e os riscos associados a cada uma das atividades do projeto. Mesmo no caso das estimativas por analogia, a quantidade e qualidade da informação de que dispomos, em relação as atividades de projetos anteriores é determinante para que, o perito que realiza a estimativa, possa determinar com segurança o grau de analogia entre a atividade que pretende estimar e atividades passadas.

Na medida em que a maioria das estimativas de custo depende de uma contagem do número de horas necessário para completar o trabalho, a obtenção de uma estimativa de custo confiável depende da prévia realização de boas estimativas de tempo. Se a estimativa de trabalho é de confiança, então os custos devem ter uma fiabilidade equivalente, uma vez que representam a multiplicação de um determinado valor hora vezes o total de horas necessário à realização da tarefa.


Peça essencial de uma boa capacidade para estimar os custos é a existência de uma boa estrutura analítica das atividades do projeto (EAP / WBS) a qual só pode ser construída se tivermos efetuado um correto levantamento de necessidades do cliente (requisitos) do projeto e a definição precisa das funcionalidades do produto ou serviço a criar.

O processo 7.2 Estimar os Custos do Projeto é dos processos do PMBOK que usa um maior numero de ferramentas e técnicas.


7.2 Estimar os Custos do Projeto
Entradas
Ferramentas e Técnicas
Resultados
Linha Base de Âmbito / Escopo
    Dicionário da EAP
Estimativas de Custo das Atividades

Linha Base dos Custos
Plano de Recursos Humanos

Estimativa Paramétrica
Atualizações dos Documentos do Projeto
Registo de Riscos
Estimativa de Baixo-para-Cima (Bottom-Up)

Estimativa de Três Pontos (PERT)

Análise de Reservas


Custo da Qualidade


Sistemas de Informação para a Gestão de Projeto


Análise de Propostas de Fornecedor


Bons Projetos

Grp2ALL


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como Fazer o Plano de Comunicação do Projeto

9 Programas de Software Grátis para Gestão de Projetos

PMBOK: Ferramentas e Técnicas - Estimar Custos do Projeto